Bom Caminho - em busca das veredas antigas

John Piper - foto

Três Perguntas para John Piper sobre "Preenchendo as Aflições de Cristo"

John Piper (entrevistado por Justin Taylor)

Filling Up the Afflicions of Christ

O novo livro de John Piper é o quinto volume na série Os Cisnes não Estão Calados: Preenchendo as Aflições de Cristo: O custo de trazer o evangelho às nações nas vidas de William Tyndale, Adoniram Judson e John Paton.

Quando ouvirmos falar de novos livros sendo lançados, nosso primeiro pensamento freqüentemente é se deveríamos ou não lê-los, o quão interessante o assunto é para nós, etc. Mas com este livro, eu lhe encorajaria a considerar se não há missionários a quem você possa enviá-lo. Eu espero que numerosas igrejas decidam enviar uma cópia para cada missionário que sustentam. Penso que isto seria um tremendo encorajamento para esses que foram enviados às nações por causa do Nome.

O Pastor John gentilmente aceitou responder algumas perguntas minhas sobre o livro:

Pergunta: Você pode descrever o efeito que teve sobre sua própria alma passar três anos lendo e escrevendo sobre estes três irmãos?

Piper: Minha primeira resposta a isso é não. A razão é que grandes pessoas, grandes realizações, grandes idéias e grandes atos têm efeitos sobre nós que nós não conhecemos completamente, e dos quais lembramos ainda menos completamente. Por exemplo, quem pode descrever o efeito de nossos pais em nossas vidas? Ou quem pode descrever o efeito dos grandes livros que lemos? Eles nos moldam e passamos a ser diferentes. Mas a influência não pode ser quantificada ou descrita.

Mas eu posso dizer algumas coisas. A vida de John Paton me impactou por causa da sua coragem. Ele enfrentaria multidões de nativos furiosos nas Novas Hébridas. Uma vez ele respondeu a um homem, que havia alertado-lhe que ele poderia ser comido por selvagens, que todos nós seremos comidos por vermes, por isso não fazia muita diferença, desde que ele pudesse morrer por Cristo. E ele demonstrou toda essa coragem pela simples fé nas promessas de Cristo. Ele desfrutou de um companheirismo com Jesus através da promessa: “Eu estarei contigo até a consumação do século.”

"O grão de trigo não morreu tantas vezes em vão. Ler a vida dele me fez querer sofrer bem e não desistir."

A vida de William Tyndale me fez querer usar meus melhores esforços para estudar, entender e ensinar as Escrituras. Ele foi traído, estrangulado e queimado porque ele queria que o homem comum tivesse a Bíblia, e porque ele a traduziu de uma forma que deixou clara a verdade da justificação pela fé. Eu pude ver a maldade da hierarquia católica romana mais claramente do que nunca ao ver como ela se enfureceu contra a paixão dele em pôr a Bíblia em inglês claro. A biografia de Tyndale, de David Daniell, é um dos melhores livros que já li.

A vida de Adoniram Judson foi a que me deixou mais pensativo por causa do quão implacáveis foram as perdas. Ele perdeu três esposas. Ele foi pendurado de cabeça para baixo numa prisão quente, infestada de insetos. Ele quase enlouqueceu na selva ao lidar com seu pesar. Ó, mas o fruto disso tudo! O grão de trigo não morreu tantas vezes em vão. Ler a vida dele me fez querer sofrer bem e não desistir.

 

Pergunta: Missionários freqüentemente sentem-se desencorajados, presos entre dois mundos, sentindo-se esquecidos por aqueles que estão em casa e freqüentemente desconectados daqueles a quem eles estão tentando ministrar. Que encorajamento você espera que os missionários recebam ao ler este livro?

"Poucas coisas além da Bíblia fortalecem as mãos de missionários como as histórias desses que suportaram o que somente aqueles que lá estiveram podem entender."

Piper: Todo o seu sofrimento vale a pena. Você não está só. Suas tristezas e desânimos são parte de uma estratégia dolorosa que Deus planejou por causa das nações. Nós não vemos todos os efeitos do sofrimento cristão. Ele é concebido por Deus para preencher o que está faltando nas aflições de Cristo (Col. 1:24). Você talvez sinta que tudo é em vão. Não é. Não é. Deus promete que não é: “no Senhor, o vosso trabalho não é vão.” (1 Cor. 15:58). Poucas coisas além da Bíblia fortalecem as mãos de missionários como as histórias desses que suportaram o que somente aqueles que lá estiveram podem entender.

 

Pergunta: Uma das coisas que ouvimos muito no cristianismo americano é que a perseguição está vindo e isto é freqüentemente usado como uma tática amendrontadora para apoiar certas formas de ativismo. Mas você defende que perseguição, morte e sofrimento são os meios que Deus usa para expandir o Seu Reino. Você poderia explicar?

Piper: Generalizada por todo Novo Testamento está a verdade de que os cristãos sofrem. O que Colossenses 1:24 deixa claro, junto com outras passagens, é que este sofrimento não é um problema para Deus, mas é Seu plano. A estratégia dEle é apresentar os sofrimentos de Cristo ao mundo na incorporação do Seu sofrido povo.

Nós somos pecadores demais para sermos mantidos sem sofrimento. E o mundo é pecador demais para ver nosso amor a menos que este venha com sofrimento. Por isso, por nossa causa e por causa deles, Deus designa tribulação para todos que desejam vencer o próprio pecado e oferecer salvação às nações.

 



Nota do Editor: Você pode baixar o novo livro de John Piper gratuitamente no site Desiring God (em inglês).

Fonte: Extraído do excelente blog de Justin Taylor Between Two Worlds


Tradução: Juliano Heyse


Fale conosco: mail@bomcaminho.com.

; 2007 Bom Caminho